Crisma

Fé e conversão. Creio em Deus Pai todo poderoso.

  • Autor de outras fonte Publicação de outros
  • 24/11/2016
  • Crisma

“De fato, é pela Sua graça que fostes salvos, mediante a fé, e isto não procede de vós: é dom de Deus”(Ef 2,8).

ser_catequista

A palavra fé vem do grego “pisteuo”, que significa crer, prestar adesão a alguém. Deus comunica o seu amor aos homens e espera uma resposta concreta para a realização de suas obras. A fé é a resposta do homem ao Deus que se revela. Esta comunhão é confirmada quando o homem submete completamente sua inteligência e vontade a Deus. Em obediência a Palavra de Deus, o homem livremente inicia a vida de fé quando abre os olhos para a verdade e assume a graça de participar e optar definitivamente pelo plano de salvação.

A virtude sobrenatural da fé é cultivada pela caridade.
( Cf II Ts 1,3)
O amor é a única condição que intensifica o progresso na comunhão da fé autêntica e das obras de misericórdia
(Cf Tg 2, 14-23)

Fé não significa apenas acreditar na existência de Deus. “Crês que há um só Deus. Fazes bem. Também os demônios crêem e tremem”(Tg 2,19).
As palavras afirmadas devem seguir as exigências estabelecidas pelos ensinamentos de Jesus. Fé é uma afirmação que nos leva a missão de percorrer o caminho da ressurreição para encontrarmos a vida nova em Nosso Senhor Jesus Cristo.

A raiz da fé não está firmada nos sentimentos. Nenhuma situação ou acontecimento pode alterar o verdadeiro sentido desta certeza manifestada pela glória de Deus (Cf Jo 11,40).

“Fé é o fundamento da esperança, é uma certeza a respeito do que não se vê” (Heb 11,1).É a posse antecipada do que se espera, é uma demonstração da realidade ainda não acontecida.

Fé é o caminho da entrega e do abandono. É como atravessar um túnel, embora tudo pareça escuro, temos a certeza de encontrar a luz no final.

Como opção definitiva, a fé exige perseverança e fidelidade: “Combate o bom combate, com fé e boa consciência; pois alguns, rejeitando a boa consciência, vieram naufragar na fé” (I Tim 1,18-19).

“Mas quando vier o Filho do homem, achará fé sobre a terra?” (Luc 18,8).

A conversão parte da fé: “Crede em Jesus, arrependei-vos de vossos pecados e então podereis viver a vida do Filho de Deus ressuscitado” (Ato 2,38).

Conversão é a escolha radical, é a opção determinada pela causa do Reino de Deus.Essa transformação acontece quando o arrependimento leva a pessoa a renunciar ao pecado para buscar uma vida nova.

Jesus quer salvar e nos conduzir ao Pai. Aceitar Jesus implica uma mudança de valores, de atitudes e de vida.

A experiência com Deus é a causa principal para que aconteça a confirmação da mudança de vida. A conversão de Santo Agostinho é um exemplo marcante na história do mundo, mesmo tarde, não deixou de amar a Deus, renunciou ao pecado para buscar definitivamente o caminho da santidade.

A conversão de Saulo também é outro sinal da misericórdia de Deus. Depois de tanto perseguir os cristãos, durante uma viagem a Damasco, Jesus o faz reconhecer seu erro, com a pergunta: “Saulo, Saulo, por que me persegues?”.
(Cf At 9,1-9). Saulo coloca-se diante do Senhor sem resistir ao seu chamado e cumpre fielmente a sua missão de servir à Igreja.

Não basta viver a conversão por tempo determinado. Quando conhecemos a verdade devemos ser fiéis no compromisso com Deus. Nossa resposta deve ser uma só: “Dizei somente sim se é sim; não se é não” (Mt 5,37). Perseveremos diante das dificuldades na caminhada. Renunciemos ao pecado e deixemos o Senhor nos modelar para sermos transformados em criaturas novas.

Autora: Ir. Fabiana Souza Duca de Aguiar, cmes
Fonte: www.asj.org.br

Quero saber sua opinião